Páginas

domingo, 13 de novembro de 2011

Junior Cigano do Brasil!

Com um minuto e quatro segundos de luta, hoje, no UFC on Fox, o brasileiro Junior dos Santos nocauteou o então campeão dos pesos-pesados, o mezzo americano, mezzo mexicano Cain Velásquez. A aposta do mundo da luta (principalmente fora do Brasil, óbvio) era de favoritismo do atual campeão. Os brasileiros, alguns por patriotismo, outros por racionalidade, apostavam em Cigano.
Dominando o centro do octógono desde o primeiro segundo, Junior achou a distância para o rosto do campeão em questão de segundos acertando um cruzado que praticamente definiu o caminho da luta. Quando um lutador recebe um golpe contundente desses em segundos, abala o psicológico justamente porque ele sabe que o adversário que desferiu o golpe achou a distância para, a partir daquele momento, acerta-lo várias vezes no mesmo lugar, o que o forçaria a mudar a estratégia da luta em questão de segundos. Menos de um minuto depois do primeiro cruzado, Cigano acertou outro que derrubou Velásquez, Cigano partiu então para um curto ground 'n' pound que definiu a luta a favor do brasileiro.

A vitória de Junior não é só dele, mas do boxe e uma vitória meio que "moral" sobre o wrestling americano. Dá um certo prazer ver um wrestler perder para um brasileiro, não por patriotismo, nem por anti-americanismo, mas simplesmente pela mente dos juízes e as próprias regras do UFC favorecerem os lutadores amarrões, que são basicamente os wrestlers americanos (não só americanos).

No surgimento do UFC, Royce Gracie mostrou ao mundo a importância do jiu-jitsu nas artes marciais ao vencer finalizando oponentes de diferentes artes marciais. Anos mais tarde, já no extindo Pride FC, Wanderlei Silva mostrou ao mundo a importância do Muay Thai para o MMA, dominando a sua categoria no evento e sendo um brasileiro diferenciado, porque o restante eram especialistas em lutas de chão. Maurício Shogun, também no Pride FC, e depois Anderson Silva, já no UFC, confirmaram a importância da luta de origem tailandesa para o MMA. Lyoto Machida mostrou o karatê ao mundo do MMA em 2009 ao bater Rashad Evans. E agora, Junior Cigano mostra ao mundo a importância de ter um boxe eficiente para lutar as Artes Marciais Mistas.

O Brasil agora conta com três campeões no UFC: além de Júnior, Anderson Silva nos médios, e José Aldo nos pesos pena, e no próximo mês Lyoto Machida disputará o cinturão dos meio-pesados. Rumo ao quarto cinturão!

Parabéns, Junior Cigano dos Santos!



Créditos da foto: Getty Images. Copiada do site da Globo.

Nenhum comentário: