Páginas

sábado, 1 de outubro de 2011

Rock in Rio nunca foi um festival de rock!



Desde que o 'card' de shows do Rock in Rio começou a ser anunciado há bem mais de um ano atrás, começaram as acusações de que o festival não era mais um festival de rock. Ora, ao meu ver o Rock in Rio nunca foi um festival de rock. O rock no nome é apenas um detalhe, seja por marketing ou seja porque na época em que foi idealizado e realizado pela primeira vez, não existia no mundo maiores grupos musicais que as grandes bandas de hard rock e heavy metal.
O Rock in Rio sempre foi um festival que, em todas suas quatro edições, apostou no que é popular no momento e no que não precisa ser popular no momento que mesmo assim garante um bom público.
Por exemplo, vejo bastante gente comentando: "ah, mas o Rock in Rio era rock de verdade em 1985 porque tinha Iron Maiden, Whitesnake, Ozzy Osbourne, Queen, Scorpions e etc... hoje em dia tem Cláudia Leitte e Ivete Sangalo". Tá... sim, claro que a edição de 1985 foi melhor nesse sentido. Mas o que algumas pessoas não param para pensar é que: o que era maior que, por exemplo, Iron Maiden, Queen e Scorpions em 1985? Praticamente nada no mundo da música era maior que esses caras. Sim, eles são bandas de hard rock e heavy metal, e eram as coisas mais populares da época. Sacou? Ou vocês acham que essas bandas estavam lá porque os donos do festival queriam agradar aos roqueiros? Não, estavam lá porque eram as maiores bandas do mundo, as bandas mais populares do mundo. O que era maior que o Guns 'n' Roses e o Faith no More em 1991? A diferença é que nessa época o tipo de música que essas cantoras fazem (não só Cláudia e Ivete, mas também as internacionais Rihanna, Katy Perry e etc) não só não era popular como, especificamente o axé, ainda era uma coisa totalmente regional no Brasil, por isso que vocês não viam coisa desse tipo no Rock in Rio daquela época. Hoje em dia, não. Hoje em dia elas são as maiores (entendo que não preciso explicar qual foi o conceito de "maior" usado aqui, né?) cantoras do Brasil. Não tinha nem como elas ficarem fora de um grande festival de música popular realizado na cidade mais popular do Brasil, um cartão-postal para o mundo.
O que eu quero dizer é que devem se atentar menos à palavra rock no nome do festival, e sim ao conceito do festival que é apostar no que está em alta no momento (Rihanna, Katy Perry, Ke$ha, Shakira e etc) com o que pode até não estar em alta (alguns até estão sim, principalmente as bandas de rock!), mas são nomes já estabilizados e com história para contar e sempre garantem um bom público e boa mídia para o evento (Metallica, Elton John, Stevie Wonder, Red Hot Chili Peppers, Coldplay, Guns 'n' Roses e etc).
Rihanna, Katy Perry e etc, tem tido um sucesso atrás do outro nos últimos anos, é óbvio que elas lotariam platéias do festival. Mas vocês acham que num Rock in Rio em 2021 elas estariam presente? Agora o Metallica pode não lançar mais nenhum disco até lá, mas se eles estiverem num Rock in Rio em 2021, vão lotar mais uma vez o Rock in Rio. Essa é a diferença no conceito do que é popular no momento e o que independente de qualquer coisa já é estabilizado e sempre vai garantir audiência pro festival. E SEMPRE foram essas duas coisas que o Rock in Rio buscou em todas as edições. Basta pesquisar os cards das quatro edições, e pensar no que era popular na época e quais bandas que não estavam tão populares na época e mesmo assim tocaram.

Nenhum comentário: