Páginas

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Lulu Santos - Acústico MTV II

Eu detesto discos acústicos, e só os escuto quando é alguma banda que eu goste MUITO.
É o caso de Lulu Santos.
Quando saiu a notícia eu já fiquei "meio assim" porque o Lulu já tinha lançado um acústico da MTV (duplo!) há dez anos atrás. Eu pensei: "putz, de novo? Outro acústico? Outra vez os-mesmos-hits-de-sempre com uma ou outra diferente?". Daí fiquei sabendo que esse novo álbum acústico seria dedicado às canções mais lado-B. Aí sim eu vi vantagem!
O disco começa com a inédita "E Tudo Mais", uma tema lento e alegre ao mesmo tempo. Bonita canção. A sequência agora é a minha favorita do disco: "Papo Cabeça" (Honolulu, 1990), que é uma canção que eu adoro, por ter uma letra com a qual eu me identifiquei em vários momentos da minha vida, e eu sempre lamentei do Lulu não ter dado muita importância pra ela nas turnês seguintes a do álbum em que ela foi lançado; depois vem "Um Pro Outro" (Lulu, 1986), um dos mega-hits do Lulu, com participação ruim do baixista Jorge Aílton no refrão, em uma parte que era feita com maestria pelo Milton Guedes, e "Dinossauros do Rock", música que só havia sido lançada no primeiro disco ao vivo do Lulu, o Lulu Santos e Auxílio Luxuoso - Amor à Arte, de 1988. As três bem fiéis à versão original. "Vale de Lágrimas", de um dos discos mais rockeiros do Lulu, Letra e Música, de 2005, é outra que teve o arranjo parecido com a original, com a substituição das distorções pela base com teclados. "Tudo Azul" (Tudo Azul, 1984) teve seu ritmo alterado para uma versão mais "baião", seguindo a letra da música... "eu nunca fui o rei do baião... não sei fazer chover no sertão...". Depois vem a bonita "Minha Vida" (Lulu, 1986), que eu não gostei na versão desse álbum. Tá certo que é uma balada, mas ficou muito "paradona". Depois vem "O Óbvio", que eu fucei e fucei na discografia do Lulu tentando achar de onde ele tirou essa canção, até eu descobrir que na verdade trata-se de uma canção do disco solo do baixista do Lulu nesse acústico: Jorge Aílton, que divide os vocais com o Lulu na canção. Bom, o rapaz é esforçado, vale pela canção que é boa, tem um refrão meio Lulu anos 80, mas ele não canta muito bem. "Adivinha O Quê" (O Ritmo do Momento, 1983) é um dos pontos altos do disco, com a participação de Marina de La Riva cantando a letra em espanhol, ficou uma versão bem marota e um dueto legal com o Lulu. Seguindo o disco vem "Brumário" (Popsambalanço, 1989), que ficou bem suingada, coisa normal nas canções que saem de Popsambalanço, como o próprio título já diz. "Baby de Babylon" é do disco mais recente de estúdio do Lulu, Singular (2009) e eu não gosto muito, nem no disco, nem da canção. Quase terminando vem "Já é" (Bugalu, 2003), é no mesmo pique da original, sem os exageros. Arrisco a dizer que está melhor que a original. Outra que eu adorei o Lulu ter voltado a tocar, "Pra Você Parar" (Honolulu, 1990), claro que acústica não chega nem perto da original com distorção. Vale pelo backing vocal da cantora Andreia Negreiros, agora parte permanente da banda de Lulu, e que fez backing no disco todo. Finalizando o disco, "Auto Estima", canção "underground" do Lulu que fui descobrir perguntando pro meu irmão, e é um single lançado em 1993 (só saiu em single, portanto não tem em nenhum disco de estúdio do Lulu), que ficou mais legal que a original.
Houve mudanças na banda, Milton Guedes e Dunga saíram, talvez por serem músicos mais "elétricos", Lulu trouxe, para o lugar de Milton, o já conhecido dos fãs, PC (metais, percussão). Pro lugar do baixista Dunga, veio o já citado Jorge Aílton. Completam o time os já veteranos de Lulu, Chocolate (bateria) e Hiroshi (teclados), e os novatos Pretinho da Serra (percussão) e a já citada Andreia Negreiros (backing vocal, cítara, percussão).

O set list da turnê tem sido:

E Muito Mais
Papo Cabeça
Um Pro Outro
Dinossauros do Rock
Toda Forma de Amor / Um Certo Alguém / O Último Romântico
Vale de Lágrimas
Tudo Azul
A Cura
Tudo Bem
Minha Vida
Apenas Mais Uma de Amor
O Óbvio
Adivinha o Quê
Brumário
Sábado à Noite
Baby de Babylon
Aviso aos Navegantes
Já é
Assim Caminha a Humanidade
Sereia / De Repente Califórnia / Como Uma Onda
Auto Estima
Tempos Modernos


Nenhum comentário: