Páginas

sábado, 21 de agosto de 2010

Encontro com um ídolo? Não tem preço!


Bienal do livro, ontem (20/08/2010), Humberto Gessinger autografa seu livro "123 Variações Sobre o mesmo tema".

Quando entrei na fila, comecei a pensar: "daqui a pouco vou ver o cara de perto".
Quando já estava na fila há alguns minutos, e vi o burburinho aumentar ali na frente (eu era um dos primeiros, porém onde eu estava não dava para ver se ele já estava no stand ou não), pensei: "ele chegou!"... quando vi que os flashs de luz de fotos sendo tiradas aumentou, aí tive a certeza.
Quando vi que só tinha mais uns dois na minha frente, comecei a pensar se eu daria a mão pra ele ou não, se eu falaria alguma coisa... coisa pra falar eu tinha um monte, quase quinze anos de fanatismo para falar, praticamente. Decidi não falar nada de Engenheiros, pois como fã xiita que sou, começaria a falar de antigamente, e se ele começasse a falar de atualidades, eu não poderia mentir dizendo que acho tudo maravilhoso. Nessa semana perguntei a ele pelo twitter duas vezes se ele iria ao show do Rush. Ele não respondeu. Mas tudo bem, não levei na maldade porque ele já me respondeu diversas outras coisas pelo twitter. Aí um dia antes da Bienal ele postou dizendo para não fazerem perguntas para ele que exigissem mais que dois neurônios. Uma brincadeira, claro. Então eu mandei pra ele: "vou te perguntar se você vai ao show do Rush, já que você não responde por aqui". Foi o que eu fiz, perguntei, ele respondeu que não vai, porque tem show do Pouca Vogal no mesmo dia, perguntou onde seria o show aqui em SP, disse que talvez o Carlos Maltz venha. Esqueci de perguntar se ele já assistiu ao documentário da banda (http://antiheroi1985.blogspot.com/2010/08/beyond-lighted-stage.html) .
Basicamente foi isso. Ele assinou minha cópia do livro dele, e ainda pedi pra ele assinar o papel que escrevi meu nome (a gente escreve o nome num papel antes, pro artista não precisar perguntar nosso nome na hora de escrever no livro). Depois que saí, fiquei olhando ele assinar mais alguns livros e xingando um monte de felicidade!

Encontrei lá também algumas figurinhas carimbadas de panelinhas engenheiras do orkut, com os quais eu rompi lá por 2005/2006, e claro que fiz questão de não cumprimenta-los. Afinal, existem fãs e fãs. Diferentes tipos de fãs.

2 comentários:

talita, ta? disse...

Aaaai, que maravilha! Que sonho. Que tuuudo! Acho que eu faria do mesmo jeito.. pensaria mil coisas pra falar e na hora não conseguiria falar nada. Só em estar perto já é mais que suficiente! Inclusive com os fãs mongóis que existem por ai, faria do mesmo jeito, não cumprimentaria. Ta mais que certo. ;D

.:.A Luciana.:. disse...

Quá deve ter morrido, hein Charles Henry! kkkkk